Umas, novas, Idéias

Wednesday, November 23, 2005

Diálogo de cano duplo







Deus desceu à terra e disse:
- Cale-se Oswaldo! Só eu posso matar quem, como e quando quiser.
O Homem puxou da cintura a arma e atirou contra a própria cabeça.
Deus sorriu sem graça: ......................................
( a lacuna criada no vão da bala foi Deus por um instante)
... deus chorou sua impotência.
Oswaldo morreu sorrindo:
- A bala não obedece ninguém além do gatilho.

11 Comments:

  • At 7:40 AM, Anonymous Denilson said…

    Beleza!!

     
  • At 11:31 AM, Anonymous Cirineu said…

    Eu já escrevi que seus textos dão a impressão de fazer parte de algo maior, ou que nos fazem desejar que fizessem parte de algo maior, de um livro?! Não há adjetivo para expressar isso, mas é uma qualidade que muito prezo.

    Abraço.

     
  • At 10:34 PM, Blogger Pamina said…

    Sem preliminares total...assinando embaixo do cirineu.
    MUITO bom!

     
  • At 1:56 AM, Blogger Marlon Magno said…

    É, Otavio, seu imundo: lembra daquele texto sobre a semana santa em que vomitei no chão da sala? Todo mundo achou engraçado. Alguma semelhança com seu texto?
    Pior que também gostei...

     
  • At 6:08 AM, Blogger Tatiana said…

    Suscinto e muito bom!
    Eu já te disse que gosto muito de seus textos.

     
  • At 8:54 AM, Anonymous Marcos said…

    Dizem que ele nos deu o livre arbítrio, pois não?

     
  • At 2:15 PM, Anonymous Anonymous said…

    forte!
    Vanessa
    http://norbertha.zip.net

     
  • At 6:42 PM, Blogger Clarissa said…

    Sim...gostei tb ...

     
  • At 4:08 PM, Anonymous Bosco said…

    Os textos mais breves sempre trazem um significado maior... complexos!

    Legal e boa sorte

     
  • At 11:58 AM, Blogger Rômulo said…

    Não sabia que Deus era tão objetivo assim... rsrs

    Um abraço,

    Rômulo

     
  • At 3:03 PM, Anonymous Renata said…

    Nossa, que forte! Curto e grosso.

     

Post a Comment

<< Home