Umas, novas, Idéias

Thursday, October 20, 2005

Refém do que virá...


"O mundo é só mais um quarto escuro"
Lobão

A filosofia que não encontro em nenhum lugar me atormenta sempre que penso em você. É uma incrível forma de tortura pessoal onde tento tirar de mim essa desconexa forma de centralizar minhas emoções mais diversas na lembrança de tua foto, enquanto, ao mesmo tempo, não consigo para de adimirá-la diante o computador. Tempo que fica impregnado em meus olhos como relógios quebrados, como vidraças permanentes e sem trancas de abrir pro céu. tudo que queria neste fim de manhã era entender o que nunca me dizem de verdade. Tudo aquilo que de alguma forma sempre fica subentendido e levanta dúvidas diversas quanto a relação entre as partes mais vagas que me constroem nessa dor de ausência e incertezas. Queria ter muitos ouvidos para escutar muitas canções ao mesmo tempo e assim não lembrar de qualquer verso desses que sempre me acabam trazendo seu gosto distante de não estar aqui. Tento desconstruir este pequeno universo que me angustia na espera de algo que não sei se realmente devo esperar. Mas apenas tento. " A beleza de tudo é a certeza de nada" já diria o bom e velho Lobo, esse sentimento que me faz ter tantas e diferentes raivas de mim pode ser capaz de me curar qualquer dia, qualquer hora, num desses finais de mês, a sombra premente das coisas que ainda virão. Como diria Cartola " fácil demais fui presa, servi de pasto na tua mesa" agora só cabe esquecer as horas e engolir cada pedaço do que vier. Ainda que longe, sem memória capaz de recriar momentos que nunca existiram, pelo menos por enquanto, vou recriando meu pranto a cada dia, pra chorar diferente as dores e as ausências diferentes que possam vir a me assolar nesse momentos que reservo para pensar em você. Comecei, fundamentei, então nada mais justo que terminar com o nobre poeta Lobão:
"Não demora por favor
que eu só quero te encontrar
pra te dar de volta tudo que sonhei
nesse tempo que eu passei
a viver depois do fim
eu me abrigo nessa noite escura
e as derroptas que eu embelezei
minhas ilhas flutuando pelo ar
e as histórias que eu ainda vou contar
e depois da escuridão
haverá um lindo sol
e a gente vai se amar
a gente vai se amar
e a gente vai se amar...."
Na incerteza de um futuro sem pretéritos nem nada de simples.

2 Comments:

  • At 8:43 PM, Blogger Marlon Magno said…

    Antes de mais nada, vou dar uma de reverendo morais: conserta isso aqui, por favor---> "não consigo para de adimirá-la diante o computador", tá muito bizarro. Revisa o texto, uns errinhos de digitação tiram minha atenção (pode me mandar à merda).
    Você queria queu viesse aqui ler seu texto preu querer me matar? Ok, cadê meu chumbinho???

     
  • At 10:01 PM, Blogger Clarissa said…

    tb queria entender...

     

Post a Comment

<< Home