Umas, novas, Idéias

Monday, July 10, 2006

DEPOIS DISSO AINDA TEM MAIS?


Estou velho. Para além da perspectiva biológica de que envelhecemos um pouco mais todos os dias, estou velho. As horas de milhagem que venho acumulando em coletivos lotados, as preocupações que nunca pensei que pudesse ter aos 25 anos de idade; todos os problemas que acabam sempre se esticando até mim. Eu vinha com calma, reclamando, tateando o caminho, mas, de repente, a vida resolveu desesperar e nem mesmo consegui entender ainda. Hoje chego em casa para reabastecer-me de aborrecimentos, ser chamado de intolerante e ouvir discursos que praticamente transformam todos os meus esforços em obrigações mal cumpridas. Eu queria ter problemas meus, só meus. Era o que eu queria. Mas a idade estaciona o espetáculo do tempo enquanto cabelos brancos surgem rapidamente, o rancor se instaura nas curvas do rosto e a vergonha passeia em perguntas que não sei responder. Queria estar errado. Queria ser novamente aquele adolescente estereotipado que se acha eterna vítima. Mas não é mais assim, aliás, pensando bem, nunca foi. Estou velho. Todas as pessoas que conheço e prezo cabem numa pequena mesa de bar que vai se esvaziando junto de minha incapacidade de permanecer entre elas. O fato é que sentei-me na cama, porta fechada, e liguei a música num som surdo. A música que me traz uma lembrança impossível. Que me faz chorar por saber que poderia ser diferente. Aliás esse é o grande castigo do final: saber que poderia ser de outra forma, mas não poder mudar. Estou velho e não são os dias nem os atos. Me fizeram velho antes do tempo. Deixo a música repetir infinitas vezes até que a noite me prove que não haverá sono. Há laços que não se pode simplesmente ignorar, infelizmente são esses que sempre se fazem mais tensos e irresponsáveis. Estou velho e tão em mim que não há nenhuma possibilidade de fuga. A solidão ajuda, diminui o fado. Não entendo, mas sei o que gostaria que fosse. Deve haver outro lugar.

22 Comments:

  • At 8:16 AM, Blogger Fabiano Morais said…

    como já disse em meio a itaipavas no laury: é o spleen de são gonçalo.

    valeu pelo depoimento no orkut, meu caro: fiquei emocionado. (chuif.)

    tâmujunto.

     
  • At 12:43 PM, Blogger Cineasta 81 said…

    É por isso que quando eu ficar velho vou me mudar pra Bora Bora e vou virar um baita de um sacana

     
  • At 3:46 PM, Anonymous Marlon Vilhena said…

    É, eu sei como é. Vivo isso todo dia. Mas é assim mesmo, pode até se acostumar com a idéia, inventar uns textos a respeito. Ou então pensar em suicídio, mas essa é a saída dos covardes. Vai ver, é por isso que até hoje não consegui parar de fumar.

     
  • At 9:31 PM, Blogger Marlon Magno said…

    Vá à merda, Marlon.
    (sempre quis dizer isso).

    Olha, seu blog está se aproximando de uma área de interesse perigosa chamada "auto-ajuda a si mesmo" através do conformismo passivo das intempéries do mundo adulto. Isso de lamentar os 25 anos é redundante. Eu também caí nessa redundância.

    Mas falando sério agora. Você é o cara de maior potencial do nosso grupo. Falo sério. Não vou dizer que é questão de tempo até tudo se acertar, é babaquice. Mas isso não vai durar pra sempre. Até porque você não é um cara que se conforma com pouco e trabalha pra confirmar sua vocação - a de vencedor. Enfim, enxugue as lágrimas.

    TMJ

     
  • At 10:20 AM, Anonymous Ivan Cb said…

    Otavio, quanto aos estereótipos, ontem você era a eterna vítima, hoje é estrelinha e pedante. Estamos evoluindo.
    Mas, falando sério, abra o livro A noiva judia no conto "De perfil", lembra dele?

    Tâmujunto!

     
  • At 10:25 AM, Anonymous Ivan Cb said…

    Otavio, quanto aos estereótipos, ontem você era a eterna vítima, hoje é estrelinha e pedante. Estamos evoluindo.
    Mas, falando sério, abra o livro A noiva judia no conto "De perfil", lembra dele?

    Tâmujunto!

     
  • At 2:28 PM, Blogger Drosofila said…

    Post lindíssimo.

     
  • At 8:30 AM, Blogger Máximo Heleno Lustosa da Costa said…

    Faço coro com o Marlon. Você ou é ou será o cara!

    Só é péssimo com piadas de improviso e sem improviso - mas, p., você não vai ser comediante!

    Agora, chega de frescura e voltemos a carregas as pedras.

    Abraço.

     
  • At 8:49 PM, Anonymous Lu Rosário said…

    Lindo,mas quando se envelhece antes do tempo... a solidão não ajuda e sim envelhece mais porque assim sente-se sozinho o bastante para achar que esta situação está ocorrendo porque sua cabeça envelheceu demais e assim se tornou incapaz de um dia ser jovem novamente.

    Beijos!

     
  • At 9:36 PM, Anonymous ivan cb said…

    caramba, alguém me ajuda a entender o comentário acima...

     
  • At 2:03 AM, Anonymous pedro said…

    Caralho.

    Tava pensando num comentário bonito, mas aí eu li teu texto de novo e as palavras ficaram com vergonha, saíram correndo.

    Nunca tinha te lido não, mas tu não é qualquer coisa.

    Não mesmo.

    (Desculpa a incapacidade de formular um elogio decente.)

     
  • At 5:04 AM, Blogger Fabiano Morais said…

    ciclobásico, ao que parece, pelo endereço do blog, ela é lá da terrinha!

     
  • At 5:05 AM, Blogger Fabiano Morais said…

    e não tem pudor!

     
  • At 8:27 PM, Blogger Otavio Meloni said…

    nunca tantas pessoas tiveram uma idéia... até os portugueses singraram este humilde blog... valeu...

     
  • At 10:30 PM, Anonymous ivan cb said…

    é, Reverendo, sem pudor mesmo. Mas o que não tem mesmo é vergonha, pra quem acha que fazer verso é cortar uma frase no meio, fica fácil ter um blog.
    Mas, saindo desse assunto miserável, o sr continua sagaz nas observações.

     
  • At 10:55 AM, Blogger Fabiano Morais said…

    não só corta a frase no meio, como centrazila. ui!
    mas tem umas bundinhas no blog, de modo que eu perdôo.

     
  • At 10:56 AM, Blogger Fabiano Morais said…

    errata: centraliza

     
  • At 11:51 AM, Anonymous ivan cb said…

    Reverendo, eu perdôo a primeira bundinha. Depois é como diz o poeta: "perdeu a esperança porque o perdão também cansa de perdoar"

     
  • At 1:06 PM, Blogger Máximo Heleno Lustosa da Costa said…

    ah, tá. entendi.

     
  • At 2:15 PM, Blogger Tatiana said…

    Eu entendo perfeitamente essa sensação de velhice profunda. É na alma que dói o tempo. Principalmente o tempo perdido.

     
  • At 2:49 PM, Blogger Carmem Luisa said…

    Interessante.

     
  • At 12:14 PM, Blogger Cristiano said…

    As marcas se constroem primeiro em nossa alma, velha arredia.

    Belo texto.

     

Post a Comment

<< Home